28 abril 2010

Primeiros passos para montar um Home Studio

Hoje as possibilidades de realizar produções de áudio em forma profissional ou quase profissional estão muito mais perto do que na década passada. O avanço tecnológico assim como o acesso a tecnologias cresceu consideravelmente e nos permite criar, gravar e veicular facilmente o material produzido.

Mas surgem várias perguntas para quem se sente atraído por este mundo, a primeira e mais importante:
O que é preciso para montar um Home Studio
Para tirar nossas dúvidas tivemos uma conversa muito descontraída e instrutiva sobre o assunto com o argentino Javier Lautaro Cosentino, engenheiro de gravação que, durante a Oficina de Música de Curitiba realizada em janeiro de 2010, lecionou um curso relacionado a Home Studio.
Exemplo de Home Studio
Além das respostas as nossas perguntas, Javier deu dicas que poderão ser conferidas no final deste artigo. Iniciamos a entrevista com uma pergunta desconsiderada por muitos, mas vejamos o que tem para nos dizer uma pessoa que há 25 anos trabalha com áudio profissional.

Preciso ter conhecimentos musicais prévios para montar um Home Studio?
"Vou falar da minha experiência. Eu comecei a trabalhar sem conhecimentos musicais, mas em diversas ocasiões senti falta de preparação ao trabalhar com músicos profissionais. Surgiam termos como compasso, nota, rítmica e o fato de não dominar esse idioma de uma forma atrasava o trabalho. Sem mencionar o desconforto do músico no estúdio. Não é necessário estudar para ser um músico profissional, mas sim para poder complementar nosso trabalho no Home Studio."
É necessário estar familiarizado com o mundo dos computadores?

"É preciso ter um conhecimento básico, entender como funciona o sistema operacional, saber manipular arquivos, configurações, enfim, ser um usuário do computador, seja PC ou Mac. O que não concordo é que seja obrigação ser um profissional da informática, não temos que desviar o nosso trabalho, o objetivo é criar, gravar, mixar e masterizar. Temos que deixar as outras preocupações para quem entende do assunto que com certeza em 15 minutos resolve o problema."
Qual é a sua opinião em relação ao PC e ao Mac?

"Primeiramente eu me centro no trabalho, esse é o objetivo. Já usei Mac e tenho que dizer que uma vez que ligava o sistema e abria o software não me preocupava com mais nada. Não me perguntava sobre configurações de drivers ou compatibilidade, pois tem um sistema estável. Só que é restringido ao que o desenvolvedor permite.
Passei posteriormente a usar PC quando começaram a surgir plugins que me interessavam muito e que não existiam para Mac. Também temos que lembrar que o lado fraco de PC é a falta de estabilidade e compatibilidade das partes do sistema."
Como determino o que realmente necessito adquirir: placas, processadores, placa de som e o hardware do sistema?
"Excelente pergunta. Parar para pensar o que realmente preciso é o primeiro passo profissional que podemos realizar. Hoje a publicidade é muito agressiva e às vezes as pessoas não avaliam se determinado produto é realmente útil para seu objetivo. O profissional do áudio deve saber quais são as características e possibilidades reais do produto que deseja adquirir para não ter surpresas na hora de usá-lo.
Além de economizar dinheiro, estará montando um sistema para um uso específico. Não podemos esquecer que estamos falando de um Home Studio. Não se pretende aqui comprar uma interface de 10 canais de entrada com dois pré-amplificadores se normalmente preciso gravar três microfones. Então antes de escolher se perguntem: o que vou gravar?"
É necessário ter um mixer no Home Studio?

"Acredito que as novas gerações estejam reduzindo muito tudo o que é analógico. O uso do digital, de certa perspectiva, facilita o trabalho em um Home Studio."
Mesa de som
"Agora podemos usar mesas de som virtuais, então se realmente quero ter um mixer deve ser de ótima qualidade se não queremos ter problemas que comprometam a gravação e o resultado final. Outra opção é entrar direto utilizando um excelente pré-amplificador."
Posso substituir o mixer por uma interface no meu sistema?

"É a opção que a tecnologia está dando agora. Eu de certa forma chamo a interface de controlador porque ela controla o programa sequenciador ou multicanal interno. O importante que devemos mencionar em relação à interface é sobre os pré-amplificadores que inclui, devem ser de ótima qualidade, pois com eles poderemos entrar com um microfone para gravação.
Não existem microfones digitais, mas sim o sinal que é convertido a digital. O importante é sempre a qualidade do sinal que entra, disso é que devemos cuidar. E não se esqueçam de ver as características e limitações do dispositivo."
Preciso ter um teclado ou controlador para trabalhar no Home Studio?

Vou responder como engenheiro de gravação em um Home Studio, já que as opiniões dos músicos podem ser variadas. Um controlador deve satisfazer as necessidades de interpretação do músico: quantidade de oitavas, tecla peso piano... Mas o interessante é que possa se comunicar com os programas usados para controlar os timbres e editar alguns parâmetros desde o dispositivo em tempo real.
Um teclado pode ser usado como controlador sempre que tenha possibilidade de usar protocolo MIDI.
Falando de MIDI, cinco ou seis anos atrás teria sido uma preocupação para quem não sabia o que era. Hoje MIDI se usa via USB, simples de usar, automatizado, inclusive alguns programas vem com pré-sets para controladores em que só devemos escolher o dispositivo usado e as configurações se ajustam em segundos.

Isso me parece fantástico, sou músico, quero tocar, gravar mas não tenho tempo nem vontade para lidar com questões como protocolo de comunicação e coisas similares."
Algum outro conselho em relação a hardware?


"Ah sim, use toda a memória RAM que possa adquirir, melhorará muito o desempenho no seu sistema."
O que você poderia dizer sobre microfones?


O que limita este assunto na verdade é o dinheiro, mas não nos afastemos do nosso tema Home Studio. O mínimo indispensável é ter um microfone, pode ser usado para voz ou violão, mas é essencial.
Em microfones temos dois mundos: condensadores e dinâmicos. Se não tenho dinheiro suficiente para comprar um ótimo microfone condensador então o melhor é não comprar.

Microfone
O que resta é usar um microfone dinâmico e aqui tenho que mencionar marcas - eu disse que não iria falar de marcas, mas em microfones não posso fugir.
Para mim o melhor é Shure SM57, outros preferem o SM58. É um microfone muito versátil de excelente qualidade e indispensável em um Home Studio. Um condensador ótimo é o AKG 414, só que o preço é um pouco elevado."
Cabos e conectores, alguma dica?

"Não adianta gastar dinheiro no sistema se os cabos são de baixa qualidade, isso pode jogar todo o meu trabalho pela janela. Então comprem cabos bons e conectores bons; e se esquecerão das conexões por muito tempo. Não terão problemas com clicks, plicks, mm, shh, todos esses ruídos que incomodam qualquer um no estúdio.
Gastar um pouco mais nestes itens no começo é muito melhor que perder tempo procurando resolver um problema de barulho depois."
Que programa ou programas preciso adquirir?

"Esta é uma questão de experiência pessoal, existem vários, vou mencionar alguns: Nuendo, Cubase, Logic, Pro Tools. Qual é o melhor? Cabe a cada um experimentar os programas e ver qual se adapta ao seu trabalho. O importante é que seja um programa multicanal que aceite plugins para edição. Os plugins são programas que se acoplam aos softwares multicanais dando recursos de VSTs, efeitos, compressores e equalizadores, entre outros."
Dicas na hora de montar um Home Studio:

1. Realizar um tratamento acústico:
  • Carpete,
  • Cortinas,
  • Ter cuidado com os espaços surdos;
2. Computador com configuração apropriada e com o máximo de memória RAM possível;

3. Posição dos monitores (ou caixa de som):
  • Na altura dos ouvidos,
  • A separação ou distância entre as caixas e o ouvinte devem formar um triângulo equilátero para ter uma boa imagem estéreo,
  • Manter as caixas afastadas da parede pelo menos 40 cm e elevadas para que a base da caixa fique livre;
4. Placa de som:
  • Que tenha entradas do tipo microfone, linha e instrumento,
  • Ter em conta a quantidade de microfones simultâneos que serão gravados,
  • Ver detalhadamente a descrição do fabricante para não ter decepções futuras;
5. Microfone:
  •  Pelo menos ter um microfone dinâmico, recomendo o Shure SM57;
6. Trabalhe em um ambiente aconchegante, o estado de ânimo reflete no resultado;

7. Se for usar ar condicionado, pesquise um apropriado ao Home Studio;

8. Mantenha-se informado das atualizações dos dispositivos que usa mas não perca o foco do trabalho, o resultado é o importante;

9. Cuide dos seus ouvidos, descanse a cada 30 ou 40 minutos trabalhados e não descuide da higiene;

10. O processo de gravação, mixagem e masterização é uma arte que precisa de tempo e paciência além de conhecimento, assim, se não conseguir realizar certa parte do processo, procure ajuda de um engenheiro de gravação.

Agradecemos a Javier pelo seu tempo e conhecimentos cedidos nesta entrevista e encorajamos aos interessados a pesquisar mais sobre o assunto, em especial sobre configuração de hardware, programas e plugins.
Para conhecer mais sobre a escola de Javier, acesse www.escuelasonica.com.ar.

Fonte: Baixaki

1 comentários:

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | cna certification
Downloaded from Free Templates